Post

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading ... Loading ...

By SaltoNaComputação
Nós do Salto Na Computação marcamos presença no I Encontro de Teste de Software-Ce e trouxemos uma entrevista quentinha com Felipe Suppi.
Felipe Suppi é graduado em Sistemas de Informação e pós-graduando em Gerência de Projetos. Tem experiência de 4 anos com qualidade de software, bem como analista e líder de testes.Certificado CTFL e CBTS. Trabalhou na Fortes Informatica, Instituto Atlântico(IA), Politec/Indra e BRQ e atualmente exerce as funções de gerente de projetos e coordenador de fábrica na SoftSite Informática. No I Encontro de Teste de Software Ce, Felipe ministrou palestra com o tema “Testes Ágeis”.
Sandy (Salto Na Computação): Felipe, o que um coordenador de fábrica faz?

Felipe Suppi: Ele é responsável por algumas atividades alem dos projetos. O coordenador de fábrica é responsável por coordenar parte das tarefas do processo de desenvolvimento. As atividades da fábrica não são restritas ao desenvolvimento. Se eu tenho um produto, eu encontro bugs nesse produto e o coordenador de fábrica é responsável pelas melhorias para esse produto.
Sandy (SNC): Quais competências você julga primordiais a um gerente de projeto?

Felipe Suppi: A principal característica para um bom gerente de projeto é ser comunicativo. Por que de um lado temos a sua equipe de requisitos e do outro lado temos o cliente, então temos de ter uma comunicação com a equipe , para que ande o projeto e você tem que agradar o cliente dentro do tempo que foi proposto para ele. E a segunda organização, por que se o gerente de projeto não for organizado ele não consegue dar vazão aos projetos que ele tem. Se ele tem apenas um projeto ele “pode ser desorganizado”, mas se ele tem vários projetos não tem como ser desorganizado. Comunicação e organização.
Sandy (SNC): O que deve ser considerado na escolha da metodologia de desenvolvimento de um projeto?
Felipe Suppi: Depende do que tu tens dentro da empresa, o que eu posso oferecer e saber a necessidade do cliente. Se ele precisa de pequenas entregas, e nisso eu não estou vislumbrando apenas projetos de tecnologia. Eu tenho equipes para fazer pequenas entregas? O cliente precisa disso?
Eu posso me organizar melhor e escolher metodologias que durante o processo possam ser mudadas/adpatadas, pois eu posso começar com uma metodologia e durante o processo eu posso muda-la por conta dos interesses do cliente ou por necessidade da empresa.
Sandy (SNC): Você considera importante a interação entre o time de desenvolvimento e o time de qualidade/teste para que o projeto caminhe bem?

Felipe Suppi: Essa interação não é interessante, ela é fundamental. Se eu não tiver uma equipe que converse, que se entenda eu não tenho como entregar nada pois vai ficar uma briga entre as equipes. E se pensarmos em uma equipe de teste/qualidade e desenvolvimento, já se tem uma visão de richas entre uma e outra. Se a comunicação e união entre elas não for boa, eu não vou entregar nada por que acaba uma equipe apontando o erro da outra. E eu, de fora, vendo como gerente de projeto estou preocupado em satisfazer o cliente que é com um bom produto.
Sandy (SNC): Quais medidas devem ser adotadas quando a equipe de teste/qualidade não tem tempo suficiente para concluir os testes?

Felipe Suppi: Negociação. É fundamental saber negociar. A minha principal ação , com gerente de teste, é ver com o cliente e negociar e ver, também, com a minha equipe de teste a possibilidade de entregar no prazo. Se vai ser necessário horas extras, sábados, domingos. Se existe a possibilidade de negociar com o cliente eu estendo o prazo, quando não existe essa possibilidade é realmente necessário aumentar o custo do projeto.
Sandy (SNC): Como saber que a fase de teste chegou ao final, que o produto já está pronto?

Felipe Suppi: Isso vai depender dos riscos que eu assumi para minha entrega. Existem empresas que você pode liberar produtos com uma quantidade x de bugs e em outras que ‘nenhum’ bug pode sair. Quando eu posso testo o que foi passado pela equipe de requisitos, o que foi feito pela equipe de desenvolvimento e isso tudo ta ok então eu posso ter o produto como entregue. Claro que entra teste de regressão, teste de usabilidade, interface e etc. Vai depender bastante por que podemos entregar partes da aplicação e depois como um todo realizarmos testes mais qualificados. Mas basicamente é: “- A entrada entrou? Na saída ta saindo o que era para sair? Se sim , ta liberada”.

Sandy (SNC): Para quem está lendo a entrevista agora e quer tornar-se um gerente de projetos, quais os conselhos técnicos que você tem a dar?
Felipe Suppi: Disposição.Estudar, claro. Atualmente eu faço MBA em gerencia de projetos, é importante ter experiência no mercado a nível de projetos. Eu vim da área técnica, mas sempre fui coordenado. Não se manter parada estar sempre estudando por que não é fácil.Por Sandy Maciel

Source: http://www.saltonacomputacao.com/2014/01/entrevista-com-felipe-suppi.html

Category: Entrevistas, FA7, felipe suppi, gerencia de projeto, GTS-CE, Scrum, Teste

Você também pode querer ler

Comments are off for this post.