Post

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading ... Loading ...

By SaltoNaComputação
Nós do Salto Na Computação marcamos presença no I Encontro de Teste de Software Ce e trouxemos uma entrevista quentinha com Felipe Oliveira.
Felipe de Oliveira é graduando em Sistemas de Informação , especialista em testes de sistemas com mais de 5 anos de prática profissional. Trabalhou no Instituo Atlântico(IA), Ivia e participou de projetos para o Vale do Silício (EUA) .Atualmente exerce as funções de analista de testes e requisitos na VTI Tecnologia. No I Encontro de Teste de Software Ce, Felipe ministrou palestra com o tema “Papéis em testes e Qualidade de Software”.
Salto Na Computação (SNC) – Felipe, você poderia nos contar um pouco mais sobre você e sobre sua experiência?Felipe Oliveira: – Eu passei pelo Instituto Atlântico (IA) e lá, tínhamos projetos com a HP, com sede na Califórnia, e tínhamos projetos de pesquisa em desenvolvimento. São poucas as empresas no Brasil que possuem o status de instituto, que realmente investe em pesquisa e o Atlântico é filiado ao CPqD, de São Paulo, que também é um centro de pesquisas. E minha experiência com teste começou no IA. Fui aprendendo o processo de acordo com a solicitação do cliente, dai foi surgindo um interesse em teste, foi quando eu comecei a estudar, a interagir com profissionais mais experientes na área , a me interessar realmente pelo assunto.Do IA eu fui para a IVIA, lá eles trabalham com *worksource, então eu fazia consultoria em outras empresas. Isso foi agregando cada vez mais valor a minha experiência. Até por que , em cada empresa em que eu prestava consultoria eu encontrava problemas diferentes, processos diferentes e empresas que não tinham processos. Fazem 5 anos que estou atuando e estou tendendo para a área de requisitos mas, não quero sair da área de teste pois é tão desafiador quando o desenvolvimento. É muito gratificante para um analista de teste quando acontece uma entrega em que o cliente consegue falar “Cara, gostei bastante do sistema, está o que eu queria”. Quem é de teste sente mais orgulho do que o desenvolvedor, pois para o desenvolvedor é só mais um projeto. Poder dizer ‘eu participei de um case de sucesso’, não que aconteça com muita frequência(risos).Sandy – SNC: Hoje em dia, em muitas empresas, o analista de teste desempenha o mesmo papel do analista de requisitos. Quais as principais diferenças entre esses dois cargos? Felipe Oliveira: Em 90% casos o analista de teste vira analista de requisitos, e quanto mais os dois andarem juntos melhor, pois um depende do outro.O analista de requisitos é aquele que vai interagir mais com o cliente, não que o analista de teste não o faça, mas o analista de requisitos tem que garantir que aquilo que o cliente pediu vai ser entregue. O analista de teste faz a mesma coisa, só que com insumos diferentes. O analista de requisitos vai se preocupar em levantar tudo que o cliente deseja e o analista de teste vai garantir que a funcionalidade vai atender ao requisito levantado. A principal diferença é essa pois eles andam em conjunto.Sandy – SNC : Qual a maior dificuldade no levantamento de requisitos? Felipe Oliveira: São vários, mas o principal é o próprio cliente. Por que o cliente não sabe o que quer. Por que o cliente quer um sistema que ‘faça isso e aquilo’ , mas quando chega na hora de documentar não mais ‘aquilo, é isso’ (risos). Por conta disso o que se tem feito é treinar o cliente para que ele consiga identifica o que ele realmente quer, pois muitas vezes eles querem aproveitar um projeto já existente e as vezes não se tem essa necessidade. Existem pesquisas que dizem que apenas 30 % do que foi entregue é realmente usado, então existem softwares em que se gastam milhões e acabam sendo deixados para lá.Sandy – SNC: Quais as principais diferenças entre um analista de teste e um analista de qualidade?Felipe Oliveira: Bom, os dois são qualidade. Onde o analista de teste está voltado para o produto, ou seja, garantir que o produto está atendendo aos requisitos. E o analista de qualidade está voltado para o processo que o projeto vai seguir, se o produto terá um processo bem definido de desenvolvimento, de requisitos, de teste, se cada um está documentando, ele tem que garantir que o processo está sendo seguido.Sandy – SNC: Você gostaria de deixar algum recado para os leitores do blog?Felipe Oliveira: Que a galera se interesse por essa área de engenharia, que é bastante importante. Hoje em dia nos temos poucos profissionais e somos pouco valorizados e que nos consigamos mostrar para as empresas a nossa real importância para que assim sejamos mais valorizados.Por Sandy Maciel

Source: http://www.saltonacomputacao.com/2014/01/entrevista-com-felipe-oliveira.html

Category: Entrevista, Entrevistas, Eventos, Felipe Oliveira, GTS-CE

Você também pode querer ler

Comments are off for this post.