Post

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Loading ... Loading ...

By [email protected] (Maira Stella da Silva)
Eu preciso me declarar! Não posso mais esconder esse amor!
No início eu tive uma mistura de sentimentos e emoções. Medo de assumir um compromisso, medo de não me adaptar as mudanças que com certeza seriam exigidas ao longo do tempo, assim como em todo relacionamento. Mas resolvi seguir meu coração, e hoje eu já não me imagino vivendo sem o seu companheirismo, praticidade, organização e cumplicidade. Testlink, eu te amo!
Foi simplesmente amor no primeiro acesso!

O Testlink é uma ferramenta open source para gerenciamento de testes. Permite que o usuário cadastre casos de testes, cadastre planos de testes, defina o escopo dos testes para uma determinada versão (release, build…), e durante a execução dos testes, é possível informar em quais houve falhas, e quais foram aprovados. Após finalizar o processo, o software também permite que o usuário gere relatórios contendo informações sobre os testes executados, a quantidade de casos em que houve erro, entre outras informações que auxiliam no feedback. O sistema apresenta muito controle sobre o processo, impedindo que o usuário execute um passo sem ter concluído o anterior. Por exemplo, o usuário só poderá cadastrar um release se a versão do projeto for cadastrada primeiramente.

A tela inicial do Testlink é extremamente simples.

O primeiro passo, é cadastrar um projeto (produto). Dentro desse projeto serão cadastrados os casos de testes, e posteriormente os planos de testes.

Para cadastrar um caso de testes, um dos projetos deverá estar selecionado. Depois é só clicar em “Test Specification”, criar suites de testes (separação por módulos, para que fique mais organizado), e informar os dados para o cadastro. A etapa de cadastro do passo a passo também é muito simples e rápida.

Após cadastrar os casos de testes, você poderá cadastrar o plano de testes.

O plano de testes é composto por builds. Em cada build é possível determinar quais testes, dentro do conjunto de suites de testes, serão realizados.

Após selecionar e organizar cada build, inicia-se a etapa de execução.

Em cada caso de teste é possível especificar se o teste passou ou falhou.
E depois é só gerar relatórios!

Fluxograma do processo de testes no Testlink, que eu fiz e se encaixa na realidade em que eu trabalho:

É válido comentar que com o Testlink o processo de homologação se tornou mais rápido, mais confiável e muito mais organizado.

O que eu acho que poderia melhorar:

1. Contabilizar o tempo gasto para a execução de um determinado build/release.
2. A etapa toda poderia se tornar mais simples ainda, se após um determinado cadastro o sistema já redirecionasse para a próxima tela dando continuidade ao procedimento automaticamente.

Leitura interessante:
As Cinco Melhores Razões (Erradas) Para Você Não Ter Testadores

Source: http://themonsterbug.blogspot.com/2011/11/amor-primeira-vista.html

Category: fluxo de testes, testlink

Você também pode querer ler

Comments are off for this post.